David Xavier: “Houve uma valorização do papel do cabeleireiro na nossa sociedade”

 

 

Dedicado, trabalhador e apaixonado, David Xavier é um profissional multifacetado. Mesmo em momentos de confinamento, o seu “amor” pela profissão levou-o a não desistir de abrir o seu novo espaço no Chiado, e a acreditar num regresso, em que o apoio incondicional da L’Oréal e a confiança dos clientes são fundamentais em tempos tão incertos.  

 

Olhando para a forma como os clientes aderiram ao regresso à actividade, concorda que há um lado positivo nesta pandemia?

Respondendo de forma espontânea, em nenhuma pandemia há um lado positivo. O desconhecido não tem nada de positivo. Veja o meu caso: tinha acabado de assinar um novo contrato para arrendar uma nova loja. Para além das rendas da nova localização do Atelier Chiado Hair Salon, agora na Calçada do Sacramento, tive de realizar obras, comprar mobiliário, nova decoração, novo material de apoio, mais produto, tudo isto sem faturar, a viver de poupanças, e a apostar em algo que era, e é, incerto.

Contudo, respondendo de forma mais positiva, concordo que houve uma valorização do papel do cabeleireiro na nossa sociedade. O melhor exemplo veio dos clientes que são exigentes e que nos procuram pelo reconhecimento dos bons resultados, quer sejam eles em trabalhos de corte, de coloração, de alisamento, de ondulação, de styling ou até mesmo de produção de editoriais e espectáculo.

As técnicas de cabelo são um exclusivo nosso, estudámos para as dominar, vamos a formações constantes todos os anos, e é por isso que somos “profissionais de cabelo”.

De forma geral, o cabeleireiro deixou de ser visto como um serviço fútil ou de última necessidade. Actualmente, ter um cabelo “impecável” é parte integrante da beleza e do bem-estar.

Como eu costumo dizer nas minhas formações, ‘o cabelo é a moldura do rosto’, e assim, torna-se um dos principais fatores de incremento da auto-estima por parte de quem nos procura. Mesmo em casa, e a trabalhar através dos dispositivos digitais, as pessoas queriam estar bonitas.

Alguns clientes, os que estavam na chamada ‘linha da frente’, como médicos, enfermeiros, assistentes sociais, jornalistas, farmacêuticos e bancários, pediam-me dicas para que o cabelo ficasse minimamente apresentável. Quanto a cortes, pedi sempre que não o fizessem em casa.

Acredito que, de um modo geral, e passado o tempo de isolamento social, as pessoas reforçaram a confiança e a fé que tinham no seu cabeleireiro.

Também digo que a tomada de posição da L’Oréal Professionnel, aquando da abertura dos salões a 4 de Maio, foi essencial para que esta confiança na nossa profissão fosse conseguida. A L’Oréal Portugal, nas últimas duas semanas antes da primeira vaga de ‘desconfinamento’, foi incansável em formações online sobre o assunto e produziu, em tempo recorde, materiais de apoio que foram quase como ‘bíblias’ para todos aqueles que queriam abrir os seus salões, com toda a segurança e higiene, durante este período de pandemia.

Para além disso, a L’Oréal assumiu um papel importante para todos os cabeleireiros de Portugal ao colocar em antena, em pleno horário nobre, campanhas publicitárias de que os cabeleireiros estavam de volta ao trabalho e isso faz com que saibamos quem está connosco.

Para quem como eu, para além de cabeleireiro – ou seja, tem a preocupação com a parte criativa e a artística perante o cliente – é também empresário – isto é, tem todos os deveres perante funcionários, estado e marcas com que trabalha, este ano tem sido de grandes obstáculos, a maioria difíceis de ultrapassar. Mas, acredito que, com a ajuda de todos, tudo vai passar e voltar a uma “nova normalidade”. Nada vai ser como antes – essa é a minha crença – mas isso não é necessariamente mau.

 

 

 

Neste regresso à actividade, quais os serviços que foram/são mais procurados?

Essa pergunta tem uma resposta quase infinita [risos]. Talvez, tenha sido a coloração, a rectificação de crescimentos. Com isso, vem necessariamente o corte. Ninguém quer estar com uma cor bonita sem ter um corte à altura. Tive também muitos clientes que quiseram fazer renovação total do seu visual, quase como tivesse renascido. Fui muito procurado também pelos meus clientes, homens e mulheres, para colocar extensões de cabelo.

Outro serviço muito procurado foi o ‘tratamento em salão’. Quase todos os meus clientes, mesmo aqueles que não têm por hábito fazer rituais de beleza, optaram por realizar connosco alguns procedimentos como hidratar e reparar o cabelo. A justificação é simples: queriam que fosse alguém entendido a fazê-lo. Deste modo garantiram que a saúde dos cabelos estava assegurada e em boas mãos.

 

Na coloração, quais são as técnicas mais utilizadas? Já tem algum feedback das novas nuances de Majirel? Quais os tons mais desejados?

Tal como já referi, a coloração, de forma geral, foi a ‘rainha’ dos meus dois espaços e não é de admirar, porque quase dois meses em casa fechados traz consequências no crescimento das brancas nos nossos cabelos.

As ombré, as balayages, as babylights ou as clássicas madeixas foram também muito requisitadas.

De forma geral, as pessoas saíram de casa mais abertas à mudança e isso é bom, para poder criar visuais únicos, ao nosso gosto e ao gosto da cliente.

Sobre a Majirel… foi uma paixão à “primeira vista”. [risos] Tive o primeiro contacto com Majirel ainda adolescente, quando ia para o salão da minha mãe. 17 anos depois, voltei a encontrar-me com a Majirel e com a L’Oréal Professionnel e estou completamente rendido.

As novas nuances permitem-nos explorar a nossa criatividade enquanto coloristas, graças à grande variedade de tons. Alicerçado a este facto, os novos beges e os novos cinzas estão reforçados com pigmentos frios, o que permite ao profissional de cabelo “brincar” com várias tonalidades, podendo elaborar visuais quase exclusivos em cada cliente. Para além disto, devido à tecnologia presente nesta coloração – a Cool Inforced – as nuances permanecem mais tempo, entre quatro a seis semanas, com a mesma neutralização.

As minhas clientes, de forma muito geral, optam por aquilo que lhes sugiro. Desta maneira, vão muitas vezes ao encontro da colecção de tendência de cabelo que criei no início deste ano, chamada ‘Colecção Atelier Chiado 2020’. Na verdade, até foi o primeiro trabalho artístico que fiz em parceria com a L’Oréal depois de desafiado pelo Luís Lemos, da L’Oréal Professionnel/Redken, a quem sou eternamente grato. O resultado foi melhor do que esperado e por isso, cheguei a apresentá-lo na televisão e a publicá-lo numa revista do meio.

Os tons mais desejados são:

Ombré em Tons Quentes vulgarmente conhecidos como os tons canela, café e chocolate. Este tipo de coloração é uma boa opção para quem não quer fazer uma coloração global;

Balayage em dourado caramelo esta opção de coloração ajuda a criar uma ideia de profundidade, o que torna os cabelos compridos e de tons dourados mais luminosos e mais vistosos;

Coloração fantasia em tons rosa pastel esta cor é um “lavanda irisado”, ou seja, uma mistura de um violeta pastel com rosa. É aconselhado a mulheres mais arrojadas e com vontade de mudar radicalmente de visual;

Coloração em mognos – um autêntico revivalismo dos excêntricos anos 80. Estes mognos baseiam-se numa mistura de castanhos achocolatados com toques avermelhados de cobre; e por fim,

BabyLights esta técnica baseia-se numas madeixas tricotadas de uma maneira muito fina. Deste modo, o cabelo mantém um ar natural e fresco. 

 

Nos cortes, quais as tendências que foram mais procuradas neste primeiro momento pós confinamento?

Tal como na coloração, também nos cortes grande parte dos meus clientes  optaram pelas propostas da “Colecção Atelier Chiado 2020”, de minha autoria. Não são naturalmente um exclusivo meu, são apenas interpretações minhas daquilo que se faz de melhor a nível mundial.

Assim, os cortes mais procurados são:

Corte Recto – ao contrário do que aconteceu o ano passado, para 2020, a tendência vai no sentido de um corte com pontas retas para o público feminino. Esta opção não é restrita para cabelos lisos ou com tendência a lisos. Os cabelos cacheados ou crespos podem também adquirir esta estrutura sem qualquer problema. O que é importante, nesta tendência, é que o corte fique com as pontas alinhadas e os fios organizados;

Corte Graduado a 90 graus – Esta tendência dá às mulheres com os cabelos longos bastante versatilidade quanto aos penteados. Com este corte, poder-se-á fazer desde caracóis, a apanhados, a tranças, a um simples cabelo liso, mas a escolha mais acertada, será fazer

um ‘clássico’, bem ao estilo da Kérastase e L’Oréal, cheio de caracóis glamorosos.

Corte Bob Desconectado Este tipo de estilo de corte permite a libertação total das mulheres em relação aos cabelos compridos. Para além disso, é uma opção possível para quase todos os tipos de cabelo, ficando, na maioria das vezes, perfeito em qualquer mulher, dando-lhe elegância e glamour.

Corte de Bob Recto Longo apesar da moda de cabelos ditar a tendência para um corte mais curto este ano, esse facto não impede que não haja «alternativas longas». Esta opção dá outras hipóteses a quem não está disponível a fazer uso da tesoura com a regularidade que qualquer cabeleireiro desejaria que houvesse por parte das clientes. A grande diferença para quem optar por este modelo é a de manter os fios ordenados e bem geométricos, criando assim um peso, uma estrutura que faz relembrar alguns cortes clássicos dos anos 70 e 80.

Corte de Graduação Ligeira – caracteriza-se por uma base mais reta com uma ligeira graduação interna (nas mechas), o que permite dar um ar jovem e estiloso a todas as mulheres que optam por este look.

 

Que aliados foram determinantes nestes serviços?

Vou confessar, sou fã de toda a gama da Kérastase, por isso, todos os produtos de calha desta marca foram essenciais à boa dinâmica dos meus salões neste regresso.

Contudo, e muito graças ao meu comercial Luís Fernandes e ao coordenador Luís Lemos, ambos da L’Oréal Professionnel, conheci a linha Serie Expert e estou a ficar completamente viciado.

A relação qualidade-preço é óptima. Não há nenhum produto que não reaja de acordo do que está protocolizado e isso é uma mais-valia para garantir o sucesso do profissional de cabelo. Nesta gama, podemos encontrar soluções para uma simples lavagem frequente a uma recuperação total dos fios de cabelo. Estou especialmente fascinado com o quarteto Expert Blondifier que é desta gama.

Mas a minha grande aliada destes tempos foi mesmo a Steampod. Tenho, actualmente, três a uso nos meus dois salões o que demonstra a importância que dou a esta ferramenta de trabalho! Tudo o que se faz com a SteamPod sai bem, com mais brilho, mais glamoroso. Acho que a L’Oréal e a Rowenta estabeleceram uma bonita parceria – deram aos cabeleireiros e aos consumidores finais um excelente produto, duradouro, tecnologicamente avançado, que para além de alisar na perfeição e fazer penteados incríveis, é também uma forma, através dos vapores de água, de tratar os fios de cabelo.

 

Para a cliente que ainda não foi ao salão, que recomendações deixa?

Quase todas as minhas clientes, mesmo as menos frequentes, já me visitaram desde o dia de reabertura. Entre Almada e Lisboa, acho que quase todas já passaram pelas minhas mãos, depois de ter sido decretado o fim da quarentena. Também me esforcei para isso.

No mês de Maio, decidi só folgar ao domingo e cheguei, muitas vezes, a abrir às 8h da manhã e só fechar à meia-noite, isto para conseguir atender aqueles clientes que precisam com urgência de estar impecáveis para voltar ao trabalho.

Gostaria de deixar a nota de que todas as regras de segurança e higiene são asseguradas pelas duas equipas que tenho nas duas margens do Rio Tejo. Por isso, não há nada a temer. Só é preciso ter paciência para possíveis atrasos e compreensão na adaptação às novas regras e procedimentos.

Agora que a vida regressa à “normalidade” que tratamentos e outros cuidados não podem ser descurados?

Eu sou apologista de um ritual de tratamento contínuo – não importa em que época estamos. A hidratação, a nutrição e a reparação são processos essenciais para manter os cabelos saudáveis e com «bom-ar» e são procedimentos que, muitas vezes, são um pouco desvalorizados por parte das clientes como, às vezes, pelos profissionais.

Contudo, atendendo à época em que estamos, e dado o gosto generalizado dos portugueses pelo sol, pela praia e pela piscina, acho que o must-have dos próximos meses será o Solar Sublime Soin-Spary Invisible Protecteur da L’Oréal Professionnel. É um spray invisível que na sua fórmula em spray leave-in, bastante leve, contém Mexoryl S.O, o que proporciona protecção instantânea e suavidade ao cabelo durante a exposição ao sol, protegendo-o dos efeitos desidratantes ao mesmo tempo que o deixa brilhante.

 Por curiosidade, pode partilhar connosco como está a sua agenda de marcações?

Não me posso queixar… ainda. [risos] Tive a agenda de Maio bastante preenchida e Junho encaminha-se nesse sentido. Julho começo já a ter algumas marcações e produções, alguns casamentos, mas é tudo muito incerto.

Já tenho algumas produções editoriais agendadas e alguns projetos em TV e no teatro também para os restantes meses, mas ninguém sabe se existirá reéntre em Setembro no plano artístico.

Tudo se está a compor, mas ainda é tudo muito incerto, ninguém nos dá certeza de nada e temos de compreender isso. Inevitavelmente estamos todos juntos nesta caminhada contra o ‘inimigo invisivel’.